A Pele da Terra e a Vida

Tanto quanto a epiderme humana, o solo necessita de cuidados para se manter saudável

Com o objetivo de informar sobre os benefícios e a importância do uso de fertilizantes para garantir a produção de alimentos mais saudáveis e suprir a demanda, um grupo de cientistas, representantes de associações, sindicatos e da indústria de fertilizantes perceberam a necessidade de fazer um trabalho educativo e esclarecedor ao público leigo brasileiro. Assim surgiu a iniciativa Nutrientes para a Vida (NPV).

Dados oficiais apontam que o Brasil é o 3º maior produtor agrícola e 9º maior detentor de florestas plantadas do mundo. Com 72,2 milhões de hectares plantados com culturas anuais e perenes e 172 milhões de hectares com pastagem, é também o 4º maior mercado de fertilizantes do mundo; somente em 2017 foram consumidos cerca de 34,4 milhões de toneladas. Entretanto, apesar dos benefícios e resultados na produção agropecuária, os consumidores e o público em geral desconhecem a importância dos fertilizantes para o Brasil. Nos últimos 40 anos, a produção de grãos aumentou 408%, com um aumento de área de apenas 63%. Como consequência, houve um crescimento na produtividade de 211%. Neste mesmo período, o aumento no consumo de fertilizantes foi de 385%. Isso permite relacionar o melhor rendimento das culturas de grãos ao uso de adubos. Sem sua utilização, haveria necessidade de derrubar 129 milhões de hectares para obter a mesma quantidade de grãos. Assim, pode-se deduzir que o uso de fertilizantes é o caminho para o aumento da produtividade das culturas e a preservação de nossas florestas.

Para entender a importância e a necessidade de o solo ser bem cuidado, faremos uma comparação com a pele.

Quando falamos em pele, pensamos imediatamente em seres humanos. Maior órgão do nosso corpo, a pele necessita de cuidados rotineiros para torná-la mais saudável, bonita e, assim, protegê-la da ação do tempo e evitar doenças. É ela, também, que colabora com outros órgãos para controlar a temperatura corporal, papel fundamental para a nossa sobrevivência.

Mas, e se pensarmos na camada arável do solo como uma pele que recobre a Terra, com o diâmetro de 12.742 km, ou seja, 12.742.000 metros ou 1.274.200.000 cm? Dentro desse escopo, considerando os 30 cm superficiais como “a fina pele do planeta”, que requer cuidados para se manter saudável e produtiva, quais seriam os tratamentos necessários para que o solo se mantenha ativo e fértil? Fazendo um paralelo, quais seriam os cremes, hidratantes e protetor solar do solo para repor as perdas de nutrientes necessários para a produção de alimentos?

A camada arável, que tem entre 20 e 30 cm de profundidade, é a pele da Terra, parte do solo onde o sistema radicular das plantas se desenvolve e absorve água e os nutrientes quando disponíveis. É nesta camada em que são aplicados os fertilizantes, que irão repor os nutrientes perdidos pela erosão e pela chuva, que percola no solo, ou aqueles que são exportados com os alimentos colhidos.

Quando pensamos na profundidade de um solo, logo verificamos que sua parte arável é uma fina camada sobre a Terra, que pode parecer insignificante para nutrir uma planta, mas não é. Esta pequena parcela do solo é onde está concentrada a maioria dos nutrientes que fazem um vegetal se desenvolver e produzir alimentos. A perda desta camada significa redução da fertilidade do solo e, consequentemente, da produtividade, causando a falta de alimentos e o caos da fome. Assim como a pele em relação ao corpo, maior órgão que temos, apesar de ainda ser pequeno em comparação ao todo, mas fundamental para a nossa sobrevivência, a camada arável do solo, apesar de muito fina, é quem nutre toda a vida terrestre.

Por isso, quem entende de cultivo, agricultura, plantas e alimentos define essa camada superficial como “a fina pele do planeta”.

Como a nossa pele, essa camada necessita de muitos cuidados, sendo o principal a correta adubação, com nutrientes na dose, época e local certos e sempre aplicando a fonte correta. A adubação balanceada permite a produção de alimentos saborosos e nutritivos, garantindo a segurança alimentar e nutricional da população.

Por isso, é necessário que todos saibam a importância de manter o solo saudável, produtivo e pronto para o cultivo.

O solo é a pátria, cultivá-lo e conservá-lo é engrandecê-la e garantir a sustentabilidade e a vida.