O inimigo da fadiga e da depressão mental

O cobalto é um elemento químico que atua nas células da medula óssea e nas reações enzimáticas em plantas leguminosas.

 

O cobalto faz parte da vitamina B12, é essencial para o funcionamento normal de todas as células, particularmente na medula óssea e sistemas nervoso e gastrointestinal. Sua deficiência no sangue provoca fadiga crônica, falta de resistência física, perda de sensibilidade, depressão mental, parestesia (queimação, dormência, coceira, etc.), anemia e macrocitose (anomalia no sangue).

Se há insuficiência desse mineral no organismo, a suplementação é indicada, especialmente para hipertensos que sofram com espasmos arteriais, hemorroidas, enxaqueca, soluço e espasmos musculares. Por outro lado, o excesso no consumo de cobalto também causa problemas: pode redundar em papeira e problemas cardíacos.

“A essencialidade do cobalto para as plantas não é comprovada, mas em leguminosas como o feijão, soja, ervilha e outras, ele é necessário no processo de fixação biológica do nitrogênio (síntese de cobamida e da leg-hemoglobina), nas coenzimas e nas reações enzimáticas. Com isso, essas plantas podem usar o nitrogênio presente no ar para formar as proteínas tão importantes para a nutrição humana. Além disso, o cobalto que as plantas extraem do solo ou é suprido por meio de fertilizantes, também alimenta os homens. Em quantidade insuficiente de cobalto, as leguminosas apresentam clorose generalizada, seguida de necrose nas folhas mais velhas, semelhante à deficiência de nitrogênio”, destaca o engenheiro agrônomo Valter Casarin, coordenador científico da iniciativa NPV (Nutrientes para a Vida).